Total de visualizações de página

Seguidores

Siga-nos por Email

domingo, 13 de janeiro de 2013

Durante a prática, qual é o elemento mais importante que deve ser ensinado pelo instrutor?

Por Moriteru Ueshiba 

Durante a prática, qual é o elemento mais importante que deve ser ensinado pelo instrutor?

No treinamento do Aikido, as primeiras coisas que aprendemos são a postura hanmi, o irimi e o tenkan, e como desenvolver o poder do kokyu. 

Em todas essas técnicas de Aikido, o elemento mais importante e fundamental é o movimento adequado. Quando fazemos o movimento adequado a sua base, você estará apto a dominar as técnicas fundamentais., as técnicas avançadas e as técnicas aplicadas.

Prefácio do livro: "Aikido - evolução passo a passo"

sábado, 12 de janeiro de 2013

Em memória a GOZO SHIODA

Em memória a um dos grandes ícones do Aikido, Gozo Shioda, mostra a eficiente técnica da arte marcial.

Veja ao vídeo abaixo:

http://youtu.be/XxPlQGxvoy0

<iframe width="420" height="315" src="http://www.youtube.com/embed/XxPlQGxvoy0" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

sábado, 1 de dezembro de 2012

Entrevista com Kisshomaru Ueshiba: Os primórdios do Aikido

Aqui posto uma entrevista com Kisshomaru Ueshiba retirada do site (abaixo apresentado) na íntegra.


Entrevista com Kisshomaru Ueshiba: Os primórdios do Aikido


por Stanley Pranin
Aiki News #77 (April 1988)
Traduzido por William Soares

Kisshomaru Ueshiba
Sensei, eu gostaria de verificar sucintamente alguns pontos históricos. Para começar, quando Ueshiba Sensei veio à Tóquio pela primeira vez com a idade de 17 ou 18 anos, a família Inoue estava envolvida de alguma forma?
Parece que ele foi para Tóquio dependendo do apoio dos Inoues. Eu me refiro a um parente do Sr. Noriaki Inoue em Tanabe. Logo depois de chegar à Tóquio meu pai sofreu beribéri. De forma que ele não teve uma experiência muito boa quando veio à Tóquio quando jovem. No entanto, como ele gostava de artes marciais, parece que ele treinou em um dojo durante um curto período.

O Sr. gostaria de falar a respeito da experiência de seu pai no exército e treinamento em Yagyu Shingan-ryu?
Enquanto ele esteve no exército ele atingiu o posto de sargento. Nessa época ele treinava Yagyu Shingan-ryu com Masakatsu Nakai aos domingos com seus subalternos e conhecidos. Mas isso era apenas uma vez por semana.

Isso foi depois que ele retornou do fronte durante a guerra Russo-Japonesa, cerca de 1905?
Isso mesmo. Eu acredito que embora não fosse um oficial não comissionado no exército, ele era muito respeitado. De acordo com a minha mãe ele costumava entrar pelo portão da guarnição enquanto pedalava em um rickshaw. Normalmente fazer uma coisa dessas deixaria os outros zangados. Isso mostra o quanto os seus amigos soldados eram devotados a ele.

Por quanto tempo a sua mãe Hatsu permaneceu em Hokkaido?
Ela já estava lá quando Shirataki foi destruída pelo grande incêndio, então eu acredito que ela foi para lá por volta de 1913. Eu acredito que ela tenha retornado entre seis meses a um ano antes de meu pai.

Eu acredito que Yoroku Ueshiba [pai de Morihei] e Zenzo Inoue [pai de Noriaki Inoue] foram para Hokkaido também.
Yoroku foi para lá, mas eu não sei se o pai do Sr. Inoue foi para lá também. Yoroku desistiu de seu trabalho como membro do conselho da vila de Tanabe e se tornou um residente com registro em Hokkaido. Ele foi para lá com a intenção de levar tudo consigo. [Na verdade Yoroku retornou para Tanabe depois de curta permanência].

Nos registros de pagamentos mantidos por Sokaku Takeda Sensei está registrado que Morihei Sensei deixou sua casa para o seu professor quando ele deixou Hokkaido para ir à Tanabe na época da doença de seu pai em 1919. Esse documento ainda existe.
Eu entendo que meu pai tenha dado a casa a ele. Ele disse que deu todos os seus bens, inclusive o seu selo de registro para o Sr. Takeda, dizendo que ele poderia fazer o que quisesse com eles. Eu não sei o que aconteceu com a casa depois disso. Na última vez que estive em Hokkaido a casa já havia desaparecido e havia campos cultivados no local. Havia um templo atrás dos campos e eu descobri o nome de Morihei Ueshiba escrito ali.

Nós entendemos que Morihei Ueshiba Sensei se mudou para Ayabe dois ou três meses depois da passagem de seu pai Yoroku e foi solicitado a começar um dojo de artes marciais por Onisaburo Deguchi Sensei.
Ele não foi solicitado a iniciar um dojo no começo. Meu pai havia se desfeito da maioria de seus bens em Tanabe na época. Enquanto esteve em Ayabe sua vida diária teve que se transformar em uma vida de consumidor. Ele tinha que ter dinheiro o suficiente para viver. No entanto, como meu pai já havia vendido a maior parte de seus bens quando ele se mudou para Hokkaido, parece que parentes o ajudaram com dinheiro. Quando eu herdei os bens em Tanabe eles estavam em nome de minha mãe. E o mais interessante é que eles estavam no nome de solteira de minha mãe, "Hatsu Itogawa" ao invés de "Hatsu Ueshiba". Então ele retornou à Tanabe apenas poucas vezes.

Parece que meu pai doou algum dinheiro para a religião Omoto quando se mudou para Ayabe. Eu acho que foi por isso que as pessoas da religião Omoto pensaram que eles deveriam fazer alguma coisa pelo meu pai e deram permissão a ele para construir uma casa no terreno da Omoto. Ele era amante de artes marciais desde o início e, dessa forma, quando a família se mudou para Ayabe eles arrumaram as coisas e ele pôde treinar na casa. Era um pequeno dojo no qual havia 14 ou 16 placas de tatami. Havia quatro portas corrediças grandes na casa e, mais adiante, um templo. Eu costumava ser repreendido por fazer furos nas portas corrediças. (Risos) Uma placa com os dizeres "Ueshiba Juku" (escola Ueshiba) havia sido escrita por Onisaburo Deguchi Sensei em 1920 e o dojo foi aberto. A placa estava sempre localizada próximo a entrada do dojo. Em 1921, quando eu nasci, meu nome "Kisshomaru" foi escrito por Onisaburo Deguchi Sensei. Ele escolheu o nome logo depois de ter sido libertado da prisão. [Deguchi foi preso como conseqüência do Primeiro Incidente da Omoto].



Os estudantes praticantes no Ueshiba Juku eram apenas os membros da Omoto?
Ele não aceitava o público em geral ou fazia propaganda do dojo. Ele estava apenas dando um pouco de instrução a alguns poucos associados próximos do Sr. Deguchi e vários membros graduados da religião. Meu pai era o tipo de pessoa que fazia as coisas acontecerem e, dessa forma, teria entrado em conflito com aqueles que fossem meros tagarelas. Eu acho que quando aconteciam alguns problemas, meu pai costumava aparecer, e esse tipo de pessoa o evitava. Eu acredito que o Sr. [Noriaki] Inoue esteve com a minha família em Ayabe desde o início. Ele chegou por volta de 1921 ou 22. Antes disso ele estava em Hokkaido. A sua mãe era a irmã mais velha de meu pai. Eu acredito que a família Inoue era realmente muito boa em conseguir dinheiro e era muito próspera naqueles dias. Meus pais acolheram Inoue em sua casa quando ele era pequeno. Eles o enviaram de volta quando ele tinha 13 anos. Embora meu pai tenha ido à Hokkaido sem dizer nada à Inoue ele aparentemente veio um ou dois anos depois. Uma vez que ele esteve com meu pai desde que era menino, Inoue realmente sabe muito a seu respeito. Ele começou a praticar com o meu pai desde quando tinha 13 anos e eu acho que os movimentos de Inoue são muito parecidos com os de meu pai.

Naqueles dias um bom número de pessoas veio para o centro da Omoto. Parece que ter o meu pai entre os membros da Omoto era algo como ter uma pena no chapéu do Sr. Deguchi. Ele costumava dizer alguma coisa como, "Nós temos um grande artista marcial aqui. Você gostaria de vê-lo?" O Sr. Deuchi realmente gostava de meu pai e eles foram para a Mongólia juntos.O nome Ueshiba se tornou amplamente conhecido como um artista marcial. Vários membros da Omoto começaram a pedir que ele ensinasse aqui e ali, então ele foi para lugares como Kumamoto [Kyushu], e Shingu em Wakayama. Era algo em torno de 1925 ou 26 quando meu pai foi à Shingu. O Sr. [Michio] Hikitsuchi não estava lá nessa época. Ele começou a estudar com o meu pai cerca de 1953 ou 54. Havia um homem chamado Kubo que era dono de uma loja de máquinas fotográficas antes da época do Sr. Hikitsuchi O Sr. Kubo e muitos outros se uniram e realizaram vários seminários. Eu entendo que tenha sido através dessa conexão que o Sr. Hikitsuchi tenha entrado no dojo.

O Sr. Kubo era um membro da Omoto?
Talvez ele fosse. Naquele tempo os membros da Omoto tinham relações muito estreitas. Meu pai também esteve em Tóquio muitas vezes. Isto era porque Seikyo Asano estava profundamente encantado com ele e falou com o seu colega na Academia Naval, Isamu Takeshita, a respeito de meu pai. Essa foi a primeira vez que Morihei Ueshiba saiu da Omoto e foi exposto ao público em geral.

Sokaku Takeda Sensei utilizava o nome "Daito-ryu Jujutsu" para a sua arte. Foi uma sugestão de Onisaburo Deguchi que se incluísse "Aiki" e que a arte pudesse ser chamada de "Daito-ryu Aiki Jujutsu", ou o "Aiki" foi acrescentado pelo Daito-ryu?
Uma vez que eu era apenas um garoto, eu não posso dizer nada de definitivo. De acordo com documentos, a arte era chamada de "Daito-ryu Jujutsu" durante a primeira metade de 1922. Então foi chamada de "Daito-ryu Aiki Jujutsu" a partir dos últimos meses de 1922, depois de Sokaku Sensei ter ido para Ayabe. O Sr. Deguchi disse ao meu pai que a sua arte era "aiki" e também conversou com Sokaku Sensei a esse respeito. Então ele teve permissão para mudar o nome. A condição era que arte se chamasse apenas "Daito-ryu Aiki Jujutsu". Não existe ninguém vivo hoje que saiba a verdade sobre esse assunto. A maior parte das pessoas daquele período já faleceu ou eram apenas crianças ou muito jovens para saber a respeito disso. Por isso, eu não tenho escolha a não ser acreditar naquilo que o meu pai me disse. Quando o meu pai veio para Tóquio ele costumava a chamar a arte de "Ueshiba-ryu Aiki Budo".

Pessoas como Kenji Tomiki que era membro do Clube de Judô da Universidade Waseda vieram para Aiabe a fim de praticar porque eles ouviram sobre meu pai através do Sr. Takeshita. O Sr. Tomiki me disse o seguinte: "O que eu estudei naquele tempo foi o Daito-ryu Aiki Jujutsu, e não Aikido. Então eu não entendo o Aikido dos dias de hoje". Então eu sugeri que parasse de chamar sua arte de Aikido e a chamasse, ao contrário, de "Estilo Tomiki". O Sr. Mr. [Shigenobu] Okumura e o Sr. [Rinjiro] Shirata sabem disso. O Sr. Tomiki começou a treinar no dojo em 1925. Ele ia todo o tempo para Ayabe a fim de treinar.

O meu Aikido não é o mesmo que o Daito-ryu do Sr. Takeda. Meu Aikido enfatiza o espírito [kokoroj]. No Aikido o espírito é importante. Meu pai criou o Aikido como um caminho marcial ou arte marcial que não inclui a competição. Ele trouxe uma interpretação mais ampla para a idéia de kata (forma) colocando ênfase na busca de um plano espiritual superior. E foi por isso que o Aikido se tornou o que é hoje. Em um sentido, há algo no Aikido que corresponde ao Zen. O Aikido envolve uma mudança completa nos padrões de pensamento. Eu acredito que Einstein também tinha uma irradiação especial. O mesmo era o caso do Sr. Tonegawa [japonês vencedor do prêmio Nobel de 1987]. Apenas o Aikido, no mundo do budo, não possui um sistema de competição. E mais, o seu método de treino está em harmonia com os trabalhos da sociedade. Morihei Ueshiba era um gênio das artes marciais. Nós precisamos fazer o máximo para construir a ponte entre a sua irradiação de gênio e a sociedade.

É dito algumas vezes que quando Sokaku Takeda Sensei deixou Ayabe ele recebeu 4,000 Yen de Onisaburo Deguchi através de Morihei Ueshiba como um presente de despedida. Mas ninguém tinha essa quantidade de dinheiro naqueles dias.
No livro de pagamentos recebidos de Sokaku está escrito que Morihei Sensei lhe pagou 100 Yen. Uma vez que a data [15 de setembro de 1922] é a última da estadia de Takeda em Ayabe e a quantidade é a maior, há um rumor de que Morihei Sensei tenha pago apenas 100 Yen dos 4.000 Yen para Sokaku Sensei. O que o Sr. Acha disso?

Eu não sei nada a esse respeito. Você pode imaginar alguém pagando uma quantia de dinheiro que é equivalente a 10,000,000 Yen [cerca $78,000] no dinheiro de hoje por alguma coisa como esta, relacionada a artes marciais? Meu pai me disse que o Sr. Deguchi havia dado ao Sr. Takeda algum dinheiro para que ele partisse o quanto antes. Mas eu não acredito nessa quantia. Se fossem 400 Yen soaria mais plausível. Se você publica alguma coisa absurda tudo o mais soa falso. Se você não sabe a respeito de alguma coisa é melhor não escrever nonsense. Eu acredito que provavelmente alguns membros da Omoto devem ter dito algo como "Onisaburo Deguchi disse a Morihei Ueshiba para pedir que Sokaku Takeda fosse embora e deu a ele algum dinheiro". Acredito que essa tenha sido a base para o boato que se espalhou. É verdade que Deguchi tenha dito a Morihei Ueshiba que pedisse Takeda para partir. Onisaburo Deguchi não achava que Sokaku Takeda fosse tão importante.

Meu pai não praticou Daito-ryu por tanto tempo. Parece que o método de instrução de Takeda Sensei era o de ministrar diversas aulas por uma semana ou dez dias. Eu acho que esse método é o que podemos chamar de "seminário" nos dias de hoje. Este não é o tipo de método que empregamos hoje. Provavelmente meu pai estudou com Sokaku por cerca de um período máximo de três meses no total. Ele tinha um trabalho e ás vezes ele estava fora. Não há maneira dele ter praticado muito com Sokaku Sensei.

A atitude de Morihei Ueshiba Sensei em relação à religião Omoto e a Onisaburo Deguchi mudaram depois de seu retorno da Mongólia?
De forma alguma. Ele os apoiou de todo o coração. Quando ele veio para Tóquio a repressão do governo à religião era realmente muito forte. Muitas pessoas disseram a ele que deveria cortar seus laços com Deguchi e eles os ajudariam a expandir suas atividades. No entanto, meu pai teimosamente recusou o seu conselho. Aonde quer que ele fosse ele dizia que Deuchi Sensei era o seu mestre. Eu não sei como Deguchi possa ter mudado de opinião depois, mas a devoçõa de meu pai a ele era absoluta. Eu sei porque eu presenciei isso pessoalmente.

O Sr. esteve com Onisaburo Deguchi Sensei depois do Segundo Incidente da Omoto em 1935?
Sim, estive e meu pai também, mas eu não acredito que eles tenham falado um com o outro por muito tempo. Isso aconteceu depois da guerra.

Seu pai era ativo no centro de Budo Sem’yokai (Associação promotora de Budo) promovido pela Omoto nos primórdios de 1930. Havia outras artes marciais sendo ensinadas além do Aikido?
Não, apenas Aikido. Não cometa nenhum erro a esse respeito. Aikido era ensinado dentro do contexto da Budo Sen’yokai e, por isso, Morihei Ueshiba se tornou o seu primeiro presidente. Depois o presidente seguinte foi Hidemaro Deguchi [marido da filha de Onisaburo, Naohi]. Naqueles dias meu pai costumava ir a um dojo filial da organização e ensinava por uma semana ou dez dias.

O Sr. poderia nos dizer alguma coisa a respeito da conexão de Ueshiba Sensei com o dojo do fundador da Kodansha, Seiji Noma?
Ele disse que havia ido ensinar ali, mas parou de ir depois de duas ou três visitas dizendo que ele não havia gostado de lá.

Quanto tempo levou para que fossem fotografadas as famosas séries de fotografias de técnicas no dojo de Noma cerca de 1935?
Eu acho que levo cerca de dois ou três dias. O filho do Sr. Noma tinha uma camera Leica que custava cerca de 1,000 Yen naqueles dias e ele e seus assistentes realizaram as fotografias. O principal ukemi era o Sr. [Shigemi] Yonekawa.

Nós acreditamos que Morihei Sensei teve contato pessoal com o espadachim Hakudo Nakayama durante esse período.
Hakudo Nakayama e Sasaburo Takano Sensei eram homens de influência no mundo do Kendo naqueles dias. Nakayama Sensei dirigiu um dojo em Hongo que era realmente vicejante. Embora Hakudo Nakayama não fosse um crente, ele visitou o centro da Omoto também. Nakayama Sensei e meu pai vieram a se conhecer na sede da Omoto.

Houve uma grande demonstração de arte marcial em torno de 1935, eu acredito. Parece que Takeshita Sensei participou nessa demonstração representando ou o Daito-ryu Jujutsu ou Daito-ryu Aiki Jujutsu.
Talvez ele tenha. O Sr. Takeshita era um grande entusiasta das artes marciais. Mas eu não posso imaginá-lo realmente realizando uma demonstração. Quero dizer, um almirante dando uma demonstração para o público naqueles dias… A separação de classes sociais, especialmente antes da guerra, era muito forte.

Parece que o imperador não estava realmente presente na demonstração que o fundador realizou no dojo Sainenkan no quintal do palácio imperial.
É do meu entendimento que alguém estava representando o imperador. Meu pai ofereceu uma demonstração naquela ocasião. Era uma espécie de "atração".

Ele participou nessa demonstração devido à sua conexão com o almirante Takeshita?
Eu não sei muito a esse respeito. No entanto eu acho que tenha sido através das autoridades envolvidas. Eu acredito que Yukawa, Shirata, Shioda e alguns outros serviram de ukes naquela ocasião. O Sr. Yukawa geralmente se machucava uma vez que ele era duro e forte [Yukawa teve um problema no ombro durante essa apresentação]. Eu acredito que a demonstração no Sainenkan dojo ocorreu cerca de 1942. O Sr. Yukawa faleceu em cerca de 1943. Meu pai estava na Manchúria naquela época e eu recebi o telegrama informando sobre sua morte. Eu fiz com que o Sr. Hirai fosse até lá.

Cerca de que ano Takeshita Sensei faleceu?
Eu não sei… talvez perto do fim da guerra. Ele nunca veio ao Hombu Dojo depois da guerra. Eu acredito que ele costumava vir ao dojo até cerca de 1935. Quando ele estava em Takanawa, ele juntava pessoas em sua pequena sala de estar e praticou ali até 1938 ou 1939.

O Sr. poderia falar a respeito das principais técnicas que influenciaram o Aikido de seu pai?
É verdade que naqueles dias o meu pai estudou ken [espada], jo [bastão], yari [lança] e técnicas à mãos livres [taijutsu] junto ao Sr. Nakai na área de Kansai, perto de Osaka. Também é verdade que meu pai era muito influenciado por ele. Mais tarde, o Sr. Shiho Otsubo da Yagyu Shinkage-ryu costumava freqüentar nossa cassa nos velhos tempos. Quando ele viu os movimentos de meu pai um dia, ele se surpreendeu e disse: "Você deve ter estudado Yagyu-ryu em algum lugar." Daito-ryu também teve uma grande influência no Aikido assim o Tenjin Shin’yo-ryu Jujutsu. Dois praticantes da escola de espada Kashima Shinto-ryu chamados Iida e Aoki costumavam vir ao nosso dojo ao retornarem de suas aulas na sede do Kodokan Judo. Eu estudei com eles. Meu pai costumava nos observar praticando e então, depois que eles tinham partido, nós costumávamos treinar juntos dizendo como no "Aiki" nós devíamos fazer isso dessa ou daquela maneira. Quando eu perguntei ao Sr. Yoshikawa [atual dirigente da escola Kashima] a respeito disso ele disse que deve ter havido três estudantes de sua escola que ensinaram em nosso dojo. O terceiro homem não vinha com muita freqüência, então eu não me lembro dele. Eu acredito que O Sr. tenha sido dono de uma taverna e o Sr. Aoki era um fazendeiro. O Sr. Aoki tinha uma pegada forte e era o mais forte dos dois mas o Sr. Iida era mais hábil.

Quem treinou com eles?
Eu treinei. O Fundador costumava se sentar ao nosso lado e nos observar praticando. Nós praticávamos aos domingos em horários específicos. Eles não ensinavam durante a prática geral.

Parece que os nomes de Morihei Ueshiba Sensei e de Zenzaburo Akazawa Sensei aparecem nos arquivos do Kashima Shinto-ryu com seus juramentos de sangue [keppan].
Provavelmente Akazawa assinou em meu lugar uma vez que seria estranho pai e filho assinarem juntos. Nós praticamos cerca de um ano. Meu pai nunca ensinou espada de maneira sistemática. Ele começou a treinar esta arma, como hoje tem sido treinada, em Iwama por volta de 1955. Antes disso, ele praticava principalmente técnicas à mãos livres. Ele costumava mostrar um pouco de seu trabalho de espada para algumas pessoas, mas foi bem depois, por volta de 1955, que a ken começou a ser utilizada de forma regular. Meu pai costumava se zangar quando ele via alguém praticando ken. Ele costumava dizer isso: "Você não deve praticar ken quando se é iniciante. Você não está autorizado a segurar uma ken a não ser que você esteja bem preparado fisicamente."

Nós encontramos um pouco de influência da escola Kashima na espada do Fundador. E a respeito de seu jo?
Meu pai havia praticado vários tipos de artes de jo antes dele começar treinar no Nakai Dojo. Ele era melhor ao utilizar uma arma mais longa. Ele costumava utilizar uma longa lança de mão e era melhor com um bo [bastão longo] do que com um jo. Foi nos últimos anos, quando ele se tornou mais velho, que ele utilizava o jo.

Ele iniciou seu treino com essa arma quando ele estava no exército?
Isso é correto. Também, quando ele vivia em Ayabe ele costumava praticar o jo e a ken no jardim. Eu acredito que havia algo dele mesmo que ele não havia aprendido de nenhum mestre. Uma vez ele empurrou uma lança longa de mão em uma árvore de abricó com um grito altíssimo. Ele perdeu a ponta da lança. Quando nos mudamos para Tóquio nós cortamos a lança ao meio porque era muito trabalhoso transportá-la inteira. Que pena! (risos). Eu imagino que você irá encontrar a outra metade da lança em Iwama!

A respeito de outro assunto, é verdade que um koreano chamado "Choi" que fundou o "Hapkido" estudou Aikido ou Daito-ryu?
Eu não sei qual era a arte, mas eu sei que havia um jovem coreano de cerca de 17 ou 18 anos que participou de um seminário de Sokaku Takeda Sensei na cidade de Asahikawa em Hokkaido. Parece que ele estudou a arte junto com o meu pai e costumava se referir a ele como o seu "senior".

Se foi esse o caso a arte deve ter sido o Daito-ryu.
Eu uvi que esse homem que estudou Daito-ryu teve algum contato com o meu pai depois disso. Então ele retornou para a Coréia e começou a ensinar Daito-ryu em uma escala modesta. A arte gradualmente se tornou popular e muitos coreanos treinaram com ele. Uma vez que o Aikido se tornou popular no Japão, ele chamou a sua arte de Hapkido [escrito em coreano com os mesmos caracteres de Aikido]. Então a arte se dividiu em muitas escolas antes que alguém se desse conta. Isso foi o que meu pai me disse. Eu, uma vez recebi uma carta desse professor, depois da morte de meu pai.

Nós temos tentado documentar a história do Aikido antes da guerra. Eu acho que a história da Aikikai depois da Segunda guerra Mundial até os dias atuais não tem sido registrada de forma sistemática. Nós achamos que em um futuro próximo, nós gostaríamos de perguntar ao Sr. questões detalhadas a respeito de eventos que aconteceram a partir da data estabelecida da fundação da Aikikai em 1948 até os dias atuais.
Uma vez que essa informação ainda não foi documentada de forma apropriada, ela ainda não está em uma forma apropriada para publicação. Uma vez que eu participei diretamente em todas as coisas que aconteceram durante os anos eu estou muito familiarizado com elas. Eu mesmo as vivi e as vi com meus próprios olhos. Eu também sofri. Uma vez que eu não sistematizei essa informação ainda, por favor, espere um pouco mais. Muitas pessoas estão envolvidas e, por isso, há um pouco de dificuldade.

Fonte: http://aikidoitn.blogspot.com.br/2012/04/entrevista-com-kisshomaru-ueshiba-os.html

Entrevista com Steven Seagal Sensei


Através de pesquisas em alguns blogs descobri essa entrevista, que, possivelmente, seja do Steven Seagal.
Todo o texto foi retirado do site: http://www.gansekikai.org/tag/japao#awp::tag/japao. Abaixo o texto na íntegra.




PERGUNTA: Por que você estudar Aikido em vez de karate?
STEVEN: Eu comecei no karate, e foi em busca de um professor que pudesse ensinar-me a aspectos místicos das artes marciais. As pessoas com quem estudei no karate não podiam dar isso para mim. Achei o Aikido e pude ler alguns dos discursos de O’Sensei e o vi pessoalmente.
PERGUNTA: Com quem você estudou Aikido?
STEVEN: Eu estava dentro e fora do Japão como um jovem, e vi Tohei Sensei quando ele ainda estava com o Hombu Dojo. Eu estudei com diversos professores que você não conhece e outros que você nunca ouviu falar, desde Isoyama Sensei, Abe Sensei. E apenas mais um grupo de pessoas que já se foram..
PERGUNTA: Já houve um momento crítico em seu caminho, seu treinamento, onde você fez uma mudança radical?
STEVEN: Sim, durante seis anos, eu praticava cerca de oito horas por dia, o que é muito, mesmo no Japão. Eu estava batendo com a cabeça contra a parede e eu não estava fazendo nenhum progresso. Eu queria transcender os aspectos físicos do Aikido. Eu estava tentando fazer algumas das coisas que 0-Sensei estava fazendo, mas eu não estava chegando a lugar nenhum, mesmo tentando. Finalmente, um dia, eu saí em Kameoka, na província de Ayabe e comecei a treinar com alguns dos professores que tinham uma mística como 0-Sensei, e comecei a dedicar mais tempo para os aspectos místicos de Aikido. Eu experimentei tremendas e dramáticas mudanças em minha técnica, nos primeiros seis meses.
PERGUNTA: Por que não mais alunos de 0-Sensei foram procurar os aspectos místicos da técnica? Isso era menos interessante ou importante?
STEVEN: 0-Sensei usava um dialeto chamado Tanabe. Existe em algum lugar nas montanhas, em sua área. Um dialeto, que é realmente difícil de entender. Gostaria de falar com os outros caras e perguntar o que ele estava dizendo. Eles diriam: “ah, ele está falando sobre Deus e religião e essa porcaria, esquece isso e volte a treinar.” Essa foi a atitude. No entanto, quando eu subi e estudei com alguns dos mesmos sacerdotes que ensinavam 0′Sensei, eu comecei a entender o Aikido pela primeira vez na minha vida. Porque Aikido é mais do que waza ( técnica ).
PERGUNTA: Eu tenho ouvido muito sobre a linha-dura do aikido e Aikido “light”, você pode falar sobre o que seria a diferença?
STEVEN: 0-Sensei sempre sobre o Go-ju-ryu, o círculo, o quadrado e o triângulo. Aikido tem que ter todas essas linhas juntas. Os movimentos básicos são quadrados, muito quadrados. Quando você chegar ao nível intermediário, a quadrado está sempre lá, mas você vê já vê um monte de triângulos. Quando você chegar em um nível avançado, você vê na maior parte do tempo o círculo. Mas o quadrado está sempre lá.
PERGUNTA: Você já usou Kiai em suas técnicas? Eu não acho que eu já ouvi isso de você.
STEVEN: Você não vai querer. Kiai é muito eficaz e quando você faz isso direito, você vai paralisar o seu adversário.
PERGUNTA: Existe uma posição correta para começar?
STEVEN: Quando alguém aparece e eles vão fazer alguma coisa, você está posicionado como sempre é confortável e você faz o que você tem que fazer. A idéia é se eu estou em hanmi esquerda e alguém par cima de mim, ele provavelmente não virá para mim em hanmi certo, porque seu rosto está indo encontrar-se com meu punho. No entanto, nunca se sabe. A idéia é para esvaziar a mente e deixá-lo entrar.
PERGUNTA: Em termos de técnica o que você diria que é o mais importante?
STEVEN: Eu diria que “irimi” é o mais importante.
PERGUNTA: Em Aikido é apenas praticar a luta, ou pensar-se em situações de vida e morte?
STEVEN: A diferença entre uma luta real e com uke no tatame, é a diferença entre a natação no mar e nadar no tatame.
PERGUNTA: É uma técnica baseada em alguém que avança totalmente e acaba por se comprometer totalmente, usando o seu peso corporal no ataque?
STEVEN: Sim. A base do aikido inicialmente é assim. Mas no Aikido avançado não importa.
PERGUNTA: Nem mesmo com um soco como um boxeador o faria?
STEVEN: Nem um pouco. Não importa se eles ficam, ou se correm de mim, se eles estão lá e fazem polichinelo, eu acho que tenho de controlar uma situação ou neutralizar uma situação, e eu estou indo parar atrás de você. Isso é Aikido avançado. Eu não preciso de você se movendo. Você pode entra ou não em mim, você pode fazer o que quiser.
PERGUNTA: Como pode um aluno com deficiência se envolver com as artes marciais?
STEVEN: Depende da forma como eles são deficientes e que forma eles estão parados. Se você tiver como utilizar suas mãos e seus braços, então você pode fazer Aikido quase o mesmo que eu posso. O conceito é que alguém deve vir para você. Uma vez que eles vêm para você, os movimentos das mãos, os movimentos do tronco, e tudo o resto são os mesmos. Em uma série de maneiras que você pode se tornar um praticante de Aikido muito bom. Eu sei que durante houve tempo que eu me machuquei muito e estava muito mal. Eu aprendi minha técnica corretamente foi porque eu não conseguia me mexer.
PERGUNTA: As pessoas podem começar com 55 ou 65 anos na prática do Aikido?
STEVEN: Eu tive pessoas que com seus 70 anos iam de trem treinar no Japão, e aqui nos EUA pessoas com 60 e 70 anos que veem treinar.
PERGUNTA: Qual é a relação entre o Aikido e Budo?
STEVEN: Eles são o mesmo.
PERGUNTA: Existe alguma confusão, porque há uma vasta gama de atitudes do Aikido, de uma arte marcial muito suave, para uma arte marcial mortífera.
STEVEN: Eu acho que essas são as aberrações bobagem. Pode ser Bugei (arte marcial japonesa ou caminho marcial), se você tender por esse lado, mas se olhar o termo Budo, olhando para a caligrafia chinesa e original você ficará triste, pois significa parar a guerra. Braços parem! Pare a guerra. Então, é um Budoka HeiHõka, este guerreiro é realmente um guerreiro da paz, ou um homem de paz. Você precisa ser forte o suficiente para acabar com a guerra, você verá o que estou dizendo, porque se você é fraco não pode acabar com a guerra, você começa a ser guerreado. Você entendeu? E Budo tem que ter yin e yang, ela tem que Tate no ito a Yoko, Izu não mitama a mizu no mitama. Trata-se de todos os termos Shinto. Yoko Ito no significa lua, feminina, a água, o amor, o poder do perdão, o poder do amor. Tate no ito significa sol, falamos masculino, falamos sobre o fogo, nós falamos sobre o poder de decisão. Esse é o momento em que se você não perdoar, que é o poder de corte. Esses dois elementos têm de viver a nossa dentro de você em harmonia perfeita ou você está fora de equilíbrio, e que é o assassinato de sua essência do Budo também. Você tem que ter a habilidade e a capacidade de decidir tomar decisões, para cortar, para matar e, ao mesmo tempo, você tem que ter a capacidade de amar, de perdoar, de ser compreensivo. E esses têm que trabalhar juntos, mas o Budo é todas essas coisas e Aikido é uma das milhões de artes marciais sob a tutela do grande Budo, você entende?
PERGUNTA: O que podemos nós, como estudantes de Aikido fazer para melhorar a situação política do Aikido?
STEVEN: Infelizmente, muitos dos professores de Aikido estão mais preocupados com quem é melhor, onde e quem tem mais estudantes. Estou errado? No Aikido não importa quem é melhor. Não importa quem está certo e quem está errado, ou que tenha como muitos estudantes, ou cujo sensei é maior do que quem. Quem se importa? Nada disso importa, não tem nada a ver com Aikido. O que importa é que todos nós tentamos ajudar uns aos outros para melhorar a nós mesmos como seres humanos. Sejam quais forem os estilos que vêm até nós, serão bem-vindos, ninguém é melhor do que ninguém. Concentre-se na filosofia e nos aspectos espirituais do Aikido, em vez de quem está afiliado com quem.
PERGUNTA: Você poderia descrever o seu foco no treino com alguém, quando você está se preparando para as técnicas? Parece que você está passando por um processo e foco muito específico naquele momento.
STEVEN: É um ciclo. Quando estou ensinando, é apenas a posição do corpo a corpo e minha posição. Quando você realmente treinar, você tem que recolher-se e começar a concentrar energia. Você absorve o ataque, pegua seu “ki”, agarrándo de alguma maneira e traz para você. Quando alguem vêm para você, você faz o que quer fazer, é como um relâmpago. Onisaburo, que, como sabem, foi professor espiritual de 0-sensei, escreveu o Kaminari ku Kanji que significa “Budo é um relâmpago.” O ponto culminante de electricidade e de energia entre o céu e a terra, que é realmente o que o Bugei (artes marciais) é.
PERGUNTA: Como deve ser a intenção do uke para isso?
STEVEN: O uke não deve estar pensando em fazer alguma outra coisa, nem pensar em fazer seu ukemi. Ele só deve estar pensando em atacar. Em estágios avançados você nem pensa em atacar, você ataca apenas.
PERGUNTA: Você poderia me dar a sua interpretação de Musubi?
STEVEN: Algo juntar-se para se tornar um, é muito simples.
PERGUNTA: Como a relação entre uke e nage?
STEVEN: Pode ser, eu posso dizer Musubi em 15 milhões de maneiras, é como tomar a palavra casamento em Inglês. Musu significa tornar-se um, se juntar.
PERGUNTA: E a sua experiência com 0-Sensei?
STEVEN: Eu tenho muito pouca experiência com 0-Sensei. Eu era capaz de vê-lo várias vezes. Eu vi ele falar. Eu estava muito próximo de seus mestres espirituais e eu ainda sou. Eu acho que era a única pessoa branca sempre indo exatamente nos passos de 0-Sensei em termos de seu treinamento místico. Eu me tornei um sacerdote em O’moto Kyo e fui para a formação de todo o processo formal com o sacerdote do 0-Sensei, onde recebeu seu treinamento. Eu realmente nunca aprendi com ele. Nunca fui seu uke. Não cheguei a entrar em choque com ele sobre o tatami ou fui jogado por ele ou qualquer outra coisa.
PERGUNTA: Eu li em um artigo que kenjutsu é uma parte da sua vida?
STEVEN: Bem, para mim, Aikido e Kenjutsu são a mesma coisa. Se você viu a minha técnica, eu estou sempre efetuando o corte. Hoje nós fizemos um par de golpes de isto e aquilo, mas quando você me vê muita coisa que você vai ver e que eu estou sempre cortando com os pés e as mãos; tesabaki, ashisabaki. As mãos e os pés são todos os ângulos do kenjutsu.
PERGUNTA: Parece hoje que o seu Aikido era muito pragmático, um tipo orientado para a rua ao invés de outros estilos de Aikido que não são tão pragmáticos como o seu estilo. Eu queria saber se você, explorou também qualquer outro caminho no Aikido?
STEVEN: A técnica física do Aikido no nível que eu estou ensinando nada tem a ver com as aplicações mística na maneira que você está se referindo, ou seja, há Go-ju-Ryu (duro, macio e fluido). Agora, 0-Sensei sempre dizia: “Bugei wa desu Bugei”. As artes marciais são as artes marciais. E, “Aiki wa odorijanai”. Ele sempre disse que o Aikido não é dança. Se você nunca treinou com 0-Sensei do Aikido, ou foi assisti-lo, você estaria com medo de atacá-lo por ele poder jogar você. Suave como ele era, se você não estava lá concentrado, você poderia se machucar. Aikido é perigoso e tem que trabalhar. Isso é o que disse o fundador e era o certo. Aikido tem que trabalhar. Tudo o que eu estou fazendo é ensinar-lhe como fazer o seu trabalho no Aikido, porque não trabalho para você. Tento ensinar-lhe como fazê-lo de forma real. Não há nada sobre isso tudo que não seja espiritual. Na verdade, é muito espiritual. É real, não é uma ilusão, não é um desenho animado. Você tem que sentir para entender. 0 sensei era um grande místico, mas seu Aikido funcionou. Há muitas pessoas que tentaram pegá-lo em muitas ocasiões diferentes, desde antes de ele começar Aikido, para muito tempo depois. Eles descobriram que não é nenhuma brincadeira. E se você não pode fazer isso, se você não pode sair na rua e deixar uma dupla de baderneiros te acertar com bastões de beisebol, para em seguida fazer a coisa certa, você não sabe Aikido. Tem que ser real, caso contrário, tem-se uma ginástica aeróbica ou algo assim. Eu vou em alguns dojos e vejo alguém atacar, e então o cara cai e ninguém toca em ninguém. Há alguém aqui que pode jogar qualquer um sem tocá-los? Você tem que fazer o trabalho. Estou falando sério.
PERGUNTA: Você tem que salvar alguns dojo Aikido que são muito passivos?
STEVEN: Há dojo que ensina esta forma (jogando sem tocar), e eu acho que para ensinar de qualquer maneira você primeiro tem que aprender o básico e dentro dos princípios que você tem que ser capaz de fazê-los funcionar. Uma vez que você aprendeu o básico, e fez-lhes o trabalho, você pode obter o material mágico; que leva 20-30-40-50 anos para começar a sentir algo.
PERGUNTA: Como é que uma prosseguir nos aspectos místicos do Aikido, após atingir o básico?
STEVEN:, Primiero isto estaria disponível comigo, ou qualquer outra pessoa que tem esse tipo de fundo místico. Aí, quando você chegar perto o suficiente, neste aspecto, de seu professor, ele decide se quer ensinar.
PERGUNTA: É possível uma outra religião ou espiritualidade seja tão valiosa quanto a Omoto Kyo foi para o seu Aikido?
STEVEN: Eu imagino sim, que ela certamente foi. Um paralelo sobre Omoto kyo e outras religiões: Até mesmo 0-sensei disse que muita religião fala assim: “Nós somos o caminho, qualquer outro caminho está errado e você vai para o inferno.” Não há nenhuma religião, pelo que sei que não diz isso, exceto a Omoto-kyo. Estamos todos a subir a montanha mesmo, pode haver caminhos diferentes, mas todos nós estamos tentando chegar a Deus. Todo mundo tem o seu próprio caminho para chegar lá.
PERGUNTA: Qual parte do Aikido veio de esgrima?
STEVEN: Todas as partes, quando eu faço nikyo, eu cortei. Quando eu faço irimi, eu cortei, shihonage também, é tudo kenjutsu.
PERGUNTA: Quantos anos você tinha quando abriu seu dojo?
STEVEN: Cerca de 22.
Obrigado a todos muito bem.
Fonte:
A publicação do texto, de nosso conhecimento, foi no http://brasilaikido.blogspot.com.br
Não conseguimos no entanto verificar  nem neste site, nem por outros meios, da onde veio o texto original e a sua veracidade. Embora este apresente coerência com os vários registros da vida de Seagal Sensei.

domingo, 25 de novembro de 2012

Exame de faixa 2012

No 24/11/2012 foi realizado mais um exame de faixa. Desta feita tivemos a presença do sensei Tarcisio Dantas para prestigiar a mudança de graduação dos aikidocas mossoroenses.

Abaixo a relação dos aikidocas:

Arthur (aprovado para faixa verde)
Danilo (aprovado para faixa azul)
Leo (aprovado para faixa amarela)
Jerfeson (aprovado para faixa marrom)
Lindeberg Ventura (aprovado para a faixa marron)
Marcelo (aprovado para faixa verde)

A todos felicitações e muito treino.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Sensei Novelino em Natal.


Atenção aikidocas nos dias 26 e 27 de Outubro, em Natal, estará presente o Sensei Novelino, o vice presidente da União Sulamericana de Aikido. O evento será de grande importância para os praticantes do Aikido.

Não percam.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Aikido como um mero passatempo?

Texto retirado do Facebook: AIKIDO KAWAI SHIHAN EM NATAL/RN

Por Stanley Pranin


Aikidô como um mero passatempo?

Tenho me referido em artigos recentes a respeito de nossas estimativas do grau de crescimento do Aikidô tanto no Japão quanto no exterior. Apesar de que nossas projeções relativas ao número de praticantes sejam inferiores a diversas estimativas oficiais, eu acredito que elas tampouco representem sólidas evidências da penetração do Aikidô nas maiores culturas mundiais. Com isso em mente, tenho alguns pensamentos sobre a forma de como o Aikidô é praticado em muitas escolas hoje em dia e suas implicações no desenvolvimento da arte no longo prazo.

O Aikidô é frequentemente referenciado como um esporte em conversas com não praticantes. Quando isso acontece por vezes nós nos opomos ao termo “esporte” e esclarecemos que o Aikidô é na verdade uma “arte marcial”. Mas se olharmos cuidadosamente perceberemos que as pessoas normalmente usam o termo “esporte” num significado mais livre da palavra, e na verdade o que querem realmente dizer é alguma coisa relacionada a passatempo ou atividade de lazer ao invés de uma atividade de competição. Se pararmos e refletirmos por um instante, muitos do que estão engajados na prática do Aikidô hoje em dia realmente a tratam-no como um passatempo, hobby ou uma forma de exercício.

Como essa atitude se expressa no treino? Uma ideia que imediatamente vem à mente é essa da forma como o Aikidô é praticado em muitos dojôs, o movimento do uke nada mais é que uma caricatura de um ataque. Isso se deve à ênfase na execução da técnica em oposição ao ensino básico de como executar ataque sincero e controlado. Ataques fracos e sem comprometimento são também a maior causa das críticas sobre o Aikidô por praticantes de artes marciais. Além de ser difícil ou mesmo impossível efetuar uma técnica adequadamente contra um ataque sem sinceridade, uma atitude de tamanho relaxamento contribui para o desenvolvimento de hábitos de treinamento frívolos e lânguidos da parte tanto do uke quanto do nage. Esses são, em troca, contraprodutivos ao desenvolvimento da força muscular e das juntas e do condicionamento geral necessário para a prática segura das poderosas técnicas do Aikidô. Eu acredito que a principal responsabilidade por essa forma casual da prática do Aikidô é dos instrutores que não foram capazes de captar a essência dos métodos e intenções do fundador ao criar a arte.

É necessário que as técnicas do aikidô sejam eficazes?

Ás vezes também é discutido que as técnicas do Aikidô seriam de uso limitado em uma situação real de luta, e mesmo que fossem, o quão eficazes seriam contra uma arma letal como uma pistola. A premissa implícita é que não seja tão importante assim, e que as técnicas que praticamos tenham uma aplicação marcial. Consequentemente, por extensão, dizem os defensores desse ponto de vista que não há nada de errado em praticar de uma forma relaxada e agradável.

A maior falha, na minha opinião, sobre essa forma de pensar, é que isso negligencia as consequências danosas de tais práticas em sucessivas gerações de Aikidocas. Se usarmos o Aikidô ensinado por Morihei Ueshiba, em seguida ao fim da guerra, como uma régua pela qual possamos medir a arte atual, nós já podemos concluir que muito menos técnicas são ensinadas hoje e que há pequena ênfase em áreas fundamentais como o atemi; o uso de armas; e a prática de grupos inteiros de técnicas como koshiwaza (técnicas utilizando o quadril) e hanmi handachi (uke em pé e nage ajoelhado) os quais eram parte do curriculum original da arte. Isso sem citar a quase total ignorância da fonte e conteúdo da mensagem espiritual do fundador. Se isso continuar por muito tempo, temo que no futuro o que seja passado com o nome de “Aikidô” em muitos dojôs se torne irreconhecível como tal.

O Aikidô tem uma rica herança como uma das mais importantes e dinâmicas expressões da longa tradição japonesa de artes marciais. Morihei Ueshiba, o fundador do Aikidô, injetou nas complexas e sofisticadas técnicas que aprendeu na sua juventude uma visão humanística das artes marciais como instrumentos de resolução pacífica dos conflitos. É essa mistura única de forma, ética e utilidade, a responsável pelo impacto do Aikidô nas gerações modernas. De uma certa forma, essa visão do fundador talvez tenha sido revolucionária demais. Parece ter sido demasiado esperar que o mundo fizesse o pulo conceitual considerável requerido para transformar as ferramentas da guerra em instrumentos da paz. 

Visto sob essa luz, o estado atual do Aikidô como uma forma leve de exercício a ser buscado em um ambiente amistoso e relaxado, nada mais é que um sinal dos tempos em que vivemos onde o que é mais fácil e divertido atrai mais a atenção do que as atividades que rendem recompensas somente em consequência de um esforço aplicado em prolongados períodos de treino.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Treinamento com Sensei James Carlos

Mais um treino do Aikido, desta feita com o Sensei James Carlos. O treinamento ocorreu em dois dias, na sexta (3) e no sábado (4). O treinamento se deu com aprofundamento de técnicas e dicas do sensei James (3º Dan).

Veja as fotos do grupo:








terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Exame de faixa no Acam

Como prometido, abaixo estão algumas fotos do exame realizado no último dia 03 deste mês. Estavam como avaliadores os sensei: Tarcisio Dantas, Israel Felix e Francisco Alves e Beethoven Feitosa.

Veja as fotos: